Chape fica com o vice-campeonato no Catarinense!

09 ABR 2018
09 de Abril de 2018

Figueirense venceu na Arena Condá e comemorou o 18º título catarinense.(Foto: chapecoense Oficial).

A final em jogo único já era um diferencial. Outra novidade na tarde de domingo (8), na Arena Condá, foi o árbitro de vídeo, pouco usado no Brasil e inédito no Campeonato Catarinense.

E antes da bola rolar, o técnico Gilson Kleina teve uma baixa no elenco. Nery Bareiro, zagueiro, sentiu a coxa direita nos treinamentos de cobranças de pênalti e teve de ser substituído por Douglas.

Na tarde quente, 29ºC, as duas equipes entraram em campo para a decisão, sem vantagem para ninguém. Se houvesse igualdade, o campeão seria conhecido nos pênaltis.

O time visitante começou melhor, “mordendo” mais e levando mais perigo. A Chape parecia um tanto nervosa. E foi justamente o Figueira que abriu o placar, com Gustavo Ferrareis. Aos 13 minutos, ele aproveitou uma cobrança de lateral e chutou de longe, vencendo Jandrei, que estava um pouco adiantado e ainda tocou na bola. Um belo gol.

O Figueirense seguia melhor em campo, com as melhores oportunidades. Na primeira meia hora de jogo o árbitro possibilitou uma parada técnica, que a essa altura era um bom negócio para o técnico Gilson Kleina.

Quando a partida foi recomeçada, Guilherme concluiu de cabeça, levando perigo ao goleiro Dênis, após cruzamento da direita de ataque. A Chapecoense, agora, pressionava, mas não seria por muito tempo. A primeira etapa terminou com a vitória parcial do Figueirense, por 1 a 0.

No intervalo, Kleina promoveu duas substituições: tirou Luiz Antônio e Eduardo e colocou o atacante Vinícius e o lateral Apodi. Era o tudo ou nada nos últimos 45 minutos. E na ânsia, o time se abria e o torcedor sofria nas arquibancadas.

A Chapecoense começou a melhorar a partir dos 15 minutos. Porém, faltava a conclusão de qualidade. Arthur Caike entrou aos 20’, para a saída de Guilherme. Aos 26 minutos, em falta frontal, Canteiros cobrou e Dênis fez grande defesa.

A bola não entrava e foi o Figueirense que fez o segundo, com Maicon Leite. Aos 40 minutos, André Luís fez bom passe e Maikon invadiu a área e mandou na saída de Jandrei. Era o gol do título.

O jogo terminou com a vitória do Figueirense, por 2 a 0, e o time da capital comemorou o 18º título da sua história. A Chape, que fez 5 pontos a mais na fase de classificação, ficou com o vice-campeonato.

A Chapecoense esteve irreconhecível dentro de campo em boa parte da partida e o Figueirense soube controlar o jogo, apesar da pressão do time da casa, mais no desespero do que na qualidade.

Enfim, o Figueirense foi campeão, com méritos, dentro da Arena Condá.

Chapecoense: 93)Jandrei 2)Eduardo (Apodi) 23)Douglas 3)Rafael Thyere 6)Bruno Pacheco 55)Amaral 15)Márcio Araújo 88)Luiz Antônio (Vinícius) 8)Canteros 7)Guilherme (Arthur Caike) 9)Wellington Paulista Técnico – Gilson Kleina

Figueirense: 1)Dênis 26)Diego Renan 13)Eduardo 14)Nogueira 28)Guilherme Lazaroni 5)Zé Antônio 18)Betinho (Pereira) 10)Jorge Henrique 20)Renan Mota (João Lucas) 17)Gustavo Ferrareis 9)André Luís Técnico – Milton Cruz

Arbitragem: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por Kleber Lúcio Gil e Helton Nunes

Cartões amarelos: W. Paulista, Amaral (Chap); Renan Mota, Nogueira, Jorge Henrique André Luís  (Fig)

Estádio: Arena Condá, em Chapecó

Horário: 16h (Domingo, dia 08/04/18)

Público: 18.067

Renda: R$ 544.545

Fonte: Rádio Chapecó

Voltar

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.