Chape perde para o Nacional!

01 FEV 2018
01 de Fevereiro de 2018

(Foto: Glob

A noite de quarta-feira (31) marcou a estreia da Chapecoense em mais uma edição de Libertadores da América, competição na qual debutou em 2017, já na fase de grupos. E o adversário deste ano já havia cruzado o caminho do Verdão no ano passado. O time uruguaio se beneficiou da punição imposta ao time catarinense após a escalação de Luiz Otávio. Dentro de campo, a Chape estava classificada. Mas isso já é passado.

O tempo bom, com uma bela lua sobre a Arena Condá, era o oposto dos jogos anteriores da Chapecoense, que até então só havia jogado com chuva na temporada. A noite prometia, afinal de contas de um lado estava um campeão de Sul-Americana de outro um tri campeão mundial e de Libertadores.

Quem começou com tudo foi o Nacional, que aos 45 segundos quase marcou. Fernández, no meio de área, de cabeça aproveitou cruzamento e a bola passou muito perto da trave esquerda de Jandrei. A resposta da Chape ocorreu aos 11 minutos. Nadson invadiu a área adversária, limpou de dois marcados, e chutou para a defesa de Conde. O jogo era bom.

Com o passar do tempo, a marcação era muito forte e jogo se concentrava no meio de campo. O Verdão não conseguia se impor. E o Nacional voltou a assustar aos 33 minutos, quando Carlos de Pena mandou por cima. O primeiro tempo foi poucas faltas, pelo menos marcadas pelo árbitro, três cartões amarelos (Alfonso Espino, Sebastián Fernández e Fabrício Bruno) e nenhum escanteio. O placar não saiu do zero. Jogo difícil pra Chapecoense.

Veio a segunda etapa, mas o cenário era o mesmo. A Chapecoense não conseguia criar para chegar com perigo no ataque. A primeira alteração aconteceu somente aos 19 minutos, com Bruno Silva entrando no lugar de Lucas Mineiro.

Foi o Nacional que abriu o marcador, com Romero. Bergessio desceu pela esquerda e cruzou, o camisa 19 de frente pro gol mandou nas redes. Logo na sequência Alfonso Espino foi expulso por falta forte em Apodi. E foi Apodi que perdeu um gol feito, na rebatida de Conde, aos 33’, mandando à direita do goleiro do time uruguaio.

Perotti também entrou, assim como Eduardo, nos lugares de Nadson e Guilherme. Aos 38 minutos, Bruno Silva quase fez um golaço. Ele pegou da entrada da área, de primeira, Conde espalmou e a bola ainda na trave. Apodi foi quem cruzou. Pena que Perotti foi expulso no lance seguinte, por entrada mais forte. E teve mais expulsão. Eduardo, outro que havia entrado pouco antes. Ele deixou o braço no rosto do adversário em uma disputa de bola no campo de ataque do Verdão.

Após o gol ocorreram três expulsões, duas do time da casa, bem quando a Chape precisava reagir. E assim terminou a partida, com vitória do Nacional, por um a zero. Na próxima quarta-feira (7), no Uruguai, a Chapecoense terá de vencer, por no mínimo um a zero, para provocar pênaltis. Se vencer por 2 a 0 se classifica. Vitória por um gol só serve a partir do 2 a 1.

Foi uma derrota com gosto amargo, ainda mais depois da bela e calorosa recepção que a torcida da Chape proporcionou antes da partida.

Chapecoense: 1)Jandrei 20)Apodi 23)Douglas 14)Fabrício Bruno 6)Bruno Pacheco 11)Nadson (Perotti) 4)Amaral 15)Márcio Araújo 25)Lucas Mineiro 7)Guilherme (Eduardo) 9)Wellington Paulista Técnico – Gilson Kleina

Nacional: 1)Esteban Conde 4)Jorge Fucile 21)Guzmán Corujo 8)Diego Arismendi 22)Alfonso Espino 19)Santiago Romero 17)Christian Oliva 13)Matías Zunino (Leandro Barcia) 10)Tabaré Viudez (Bergessio) 20)Carlos de Pena 18)Sebastián Fernández (Álvaro González) Técnico – Alexander Medina

Arbitragem: Patricio Loustau, auxiliado por Hernán Maidana e Juan Pablo Belatti

Cartões amarelos: Alfonso Espino, Sebastián Fernández, Fucile (Nac); Fabrício Bruno, Guilherme, Douglas (Chap)

Cartão vermelho: Alfonso Espino (Nac)

Estádio: Arena Condá, em Chapecó

Horário: 21h45m (Quarta-feira, dia 31/01/17)

Público: 11.367 torcedores

Renda: R$ 309.580

Fonte: Rádio Chapecó

Voltar